Cerimônia do Chá

A cerimônia do chá, ou chanoyu, é um passatempo singular do Japão, que se caracteriza pelo modo de servir e tomar a matcha, um chá verde em pó. Embora o chá tenha sido introduzido no Japão pela China por volta do século VIII, o matcha só chegou ao país no final do século XII. O hábito de se fazer reuniões sociais para tomar o matcha espalhou-se entre a classe alta a partir do século XIV. Pouco a pouco, a apreciação de pinturas e artes da China foi-se tornando um dos propósitos principais dessas reuniões, que ocorriam em um shoin (estúdio), numa atmosfera serena.

Sob a influência das formalidades e modos que regulavam a vida diária dos samurais, que eram então a classe dominante na sociedade japonesa, desenvolveram-se certas regras e procedimentos que deviam ser seguidos pelos participantes dessas festas do chá. Essa foi a origem da cerimônia do chá. A forma da chanoyu, que é praticada hoje em dia, foi estabelecida na segunda metade do século XVI, durante o período Momoyama, pelo mestre-do-chá Sen do Rikyu.

O chanoyu implica mais coisas do que apenas desfrutar de uma xícara de chá de um modo estilizado. A cerimônia desenvolveu-se sob a influência do Zen-budismo, sendo seu objetivo, em termos simples, a purificação da alma através da unificação com a natureza. O verdadeiro espírito da cerimônia do chá tem sido descrito com termos tais como calma, rusticidade e a graça da simplicidade austera e da pobreza refinada”. Os cânones estritos da etiqueta da chanoyu, que à primeira vista podem parecer opressivos e meticulosos, são de fato calculados cuidadosamente, para se obter a economia de movimentos mais alta possível. Quando realizado por um mestre experiente, são deliciosos de se observar.

A chanoyu tem desempenhado um importante papel na vida artística do povo japonês. Como atividade estética, a cerimônia do chá implica a apreciação do aposento em que é realizada, do jardim anexo ao aposento, dos utensílios usados para servir o chá e da decoração do ambiente, como um rolo de papel suspenso ou um arranjo de flores. A arquitetura japonesa, a jardinagem paisagística, as cerâmicas e arranjos de flores, tudo isso tem muito a ver com a cerimônia do chá. Foi o espírito do chanoyu, que representa a beleza da simplicidade estudada e da harmonia com a natureza, que moldou a base das formas tradicionais da cultura japonesa. Além disso, o tipo de formalidades, observado na cerimônia do chá, tem influenciado, de maneira fundamental, os modos dos japoneses.

Após a morte de Sem no Rikyu em 1591, seus ensinamentos foram passados de geração em geração por seus descendentes e discípulos. Formaram-se escolas diferentes que continuam ativas até os dias de hoje. Entre essas, a Escola Urasenke é a mais ativa e a que tem maior número de seguidores. Essas escolas diferem umas das outras nos detalhes de suas regras, mas conservam a essência da cerimônia, que o grande mestre desenvolveu. Essa essência continua inalterada até hoje em dia, e o respeito pelo fundador é um dos elementos que todas as escolas têm um comum.

Um comentário em “Cerimônia do Chá

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s