Oito imortais (Ba- Xian)

Os oito imortais da mitologia chinesa/taoista, são consideradas grandes divindades, são símbolos da boa fortuna na China, eles representam 8 condições diferentes da vida:

  • I- Juventude;
  • II-Velhice;
  • III-Riqueza;
  • IV-Pobreza;
  • V-Nobreza;
  • VI-A População;
  • VII-Feminilidade;
  • VIII-Masculinidade.

As descrições mais recentes são da Tang Dinasty, mas é quase certo que tal grupo não tenha existido antes da dinastia Ming.

Anúncios

Animais sagrados – Feng Shui

Na antiga China, quando o mestre de Feng Shui escolhia o local onde iria construir uma casa, um dos pontos que era levado em consideração era o relevo que ficava em volta do terreno. O local escolhido para a futura moradia deveria ter uma série de características para a casa e seus moradores como: proteção, segurança e sorte e estavam representadas no relevo que circundava a casa. Estas caracaterísticas estão simbolizadas no Feng Shui como “Os animais sagrados do Feng Shui.” São eles: a fênix , a tartaruga, o dragão, tigre e a serpente.

A serpente
É a própria casa, a moradia, o lar. Ela deve ficar posicionada no centro do terreno. Viva, segura e atenta. A serpente representa a energia Chi que se movimenta e enertgiza os ambientes.

A fênix
O pássaro fênix pode estar localizada na frente da casa, na frente do terreno ou porta ou portão da frente de entrada. É deste ponto da casa que olhamos o horizontes, as oportunidades e sonhamos. É por este ponto do terreno ou casa que a energia Chi entra. A fênix representa a nossa capacidade de visão. Se a frente da casa estiver obstruída por qualquer motivo, a casa estará simbolicamente cega. Não temos mais visão de nossos horizontes, sonhos e metas.

A tartaruga
A tartaruga ou casco da tartaruga, está localizado nas costas do terreno ou casa. O casco da tartaruga representa proteção e segurança que necessitamos ter na retaguarda para nos sertirmos protegidos, ter mais estabilidade e mais força. Simboliza autoridade, poder e administração. Ela protege o ponto mais vunerável de nossa casa. Pode ser representada por uma montanha alta nos fundos da casa ou uma construção mais alta no fundo do terreno.

O dragão
Este animal está localizado a esquerda da casa. Pode representar conhecimento, sabedoria e criatividade. Simboliza a energia sútil, celestial e divina, a mente sensata e sabedoria. Simboliza também expansão e crescimento. Pode ser representada por uma montanha alta à esquerda-esquerda. No lugar da montanha, podemos ter árvores altas ou uma casa ou prédio vizinho.

O tigre
Este animal sagrado está localizado à direita da casa ou terreno. Pode representar a força física, a energia de ação, o instinto de preservação, a caça e o sustento material (dinheiro). Simboliza também a receptividade e a doçura. Externamente, iremos ter uma montanha mais baixa que a do dragão. No lugar da montanha podemos ter em nossas casa árvores baixas ou vasos de plantas.

Cuide bem de seus animais sagrados. Esta técnica pode ser aplicada em um ambiente interno para melhorar a nossa energia de trabalho ou moradia. Caso tenho dúvidas de Feng Shui, entre em contato pelo Consultório de Feng Shui.

Quatro animais sagrados

Na tradição astronômica chinesa a esfera celeste está dividida em quatro grandes palácios ou constelações representados pelo: Dragão verde, Pássaro Vermelho(Fênix),Tigre branco e a Tartaruga negra.(Há certas fontes que mencionam o Unicórnio ao invés do Tigre Branco).Os quatro animais celestes, são protetores e benéficos, são associados também às estações do ano.
A Tartaruga negra representa o Norte, o inverno, a água e a cor negra, é Yin. Nas costas precisamos de proteção a Tartaruga está ai em forma de uma montanha, simboliza o suporte o apoio e proporciona a segurança e longevidade, boa saúde e relações estáveis. Em algumas outras fontes é dada a Tartaruga o nome de Guerreiro Negro.
O Dragão verde representa o Leste, a primavera, a cor verde, é Yang. È um animal fantástico de poderes extraordinários e simboliza a sabedoria,a abundancia e a properidade. Segundo os chineses existem vários tipos de chineses ( O que será destacado posteriormente com mais detalhes)O Dragão de cinco garras só pode representar aas autoridades imperiais, enquanto que os de quatro garras representava aos ministros e aos oficiais. Esse animal místico e misterioso exerce até hoje uma enorme fascinação do povo chinês, é fácil entender porque estão tão relacionados a montanhas.
O Tigre Branco representa o Oeste, o outono, e a cor branca . Simboliza as virtudes da força e da coragem de um guerreiro, protege e defende de qualquer ameaça.
O Pássaro Vermelho( Fênix) representa o sul, o verão, o elemento fogo e a cor vermelha Simboliza as oportunidades, a expansão e a boa sorte. Representa nossa capacidade de percepção.

Fonte: Internet

Pan Gu – A origem do mundo

O mundo veio de uma bola cósmica, envolta em trevas, flutuando no universo. Dentro da bola, havia um espírito. O espírito foi-se desenvolvendo em silêncio, no seu interior, ninguém sabe por quantos anos, até que finalmente esse novo espírito, chamado Pan Gu, nasceu. Pan Gu vivia dentro da bola, com os olhos meio fechados, absorvendo a nutrição da bola, dormindo tranqüilamente.

Milhões de anos se passaram assim, Pan Gu cresceu e virou um gigante. Um dia, ele abriu totalmente os olhos. Mas porque se encontrava em total escuridão, Pan Gu não conseguiu ver nada. Ele pensou que o negrume em frente dos olhos fosse por que ele não tivesse acordado totalmente; limpou os olhos, mas mesmo assim não via nada. Limpou várias vezes os olhos, mas em frente dele existia somente uma escuridão sem fim. Ele ficou bravo, pulando e gritando, pedindo pela luz, batendo na bola para quebrar o mundo escuro.

Pan Gu ficava pulando e gritando, ninguém sabe por quantos anos; finalmente, seus gritos e todo o barulho que fez atravessaram a bola e chegaram aos ouvidos do Imperador de Jade no céu. Ao ouvir o barulho, o Imperador de Jade ficou muito feliz. Ele pegou um machado que tinha ao seu lado, e o jogou dentro da bola para Pan Gu.

Pan Gu, pulando e gritando, de repente, viu um fio de luz quando o machado atravessou a bola. Ficando surpreendido, ele alcançou a mão para tocar a luz. Ao mesmo tempo, o machado chegou e caiu na sua mão. Sentindo que alguma coisa tinha caído na mão, ele deu uma olhada: era um machado. Mesmo não sabendo de onde veio o machado, ele ficou muito feliz e decidiu quebrar a escuridão com o machado.

Com a primeira machadada, Pan Gu ouviu um barulho enorme, tão forte que pareceu quebrar tudo. Uma racha apareceu na bola, e uma luz brilhante veio de fora. Ele ficou tão alegre que por momentos, se deteve, exclamando sua emoção. Mas subitamente, viu que a racha ia-se fechando e a luz sumindo. Ele jogou o machado no chão e empurrou a parte de cima da bola para manter a racha, e a luz.

Sabendo que, se desistisse, a bola fecharia de novo e ele perderia a luz, Pan Gu ficou sustentando a parte de cima com muita força. As juntas dos seus ossos começaram a estalar, Pan Gu estava crescendo. Todos os dias, ele crescia um Zhang (medida chinesa, 1 Zhang = 3 metros), e a racha aumentava um Zhang. Muitos anos se passaram, Pan Gu chegou à altura de 18 milhas de Zhang, o mesmo acontecendo com a racha.

Ao ver que os dois lados da racha ficaram suficientemente afastados um do outro, não podendo mais fechar, Pan Gu sentiu-se aliviado, e começou a dar uma olhada ao redor dele: a escuridão em cima tinha virado o céu, mudando a cor para azul claro; a escuridão, em baixo, mudou para terra grossa, de cor amarela-marrom. Olhando para o céu azul claro, tão grande que parecia não ter fim, e a terra amarela, grossa e ampla, Pan Gu sentiu-se muito alegre: a escuridão tinha-se retirado e a terra estava coberta pela claridade. Ele começou a rir.

Ele riu tanto que, de repente, teve um colapso e seu grande corpo caiu no chão. Pan Gu havia morrido. Mas, na verdade, ele não morreu. Seu corpo brilhou e as partes da sua essência física começaram a se transformar.

O seu olho esquerdo voou para o leste do céu, e virou o sol brilhante que ilumina tudo. O seu olho direito voou para o oeste do céu e virou a lua terna. A sua respiração transformou-se no vento da primavera que acorda a Vida e nas nuvens que flutuam no céu; a sua voz, no raio que ilumina as nuvens escuras com um trovão ensurdecedor. Seus cabelos e barba voaram em todos os sentidos e viraram florestas densas, ervas prósperas e flores coloridas. Seu suor atingiu o céu e virou estrelas brilhantes. Seus braços e pernas se estenderam e formaram montanhas. Suas veias tornaram-se caminhos serpenteando a terra, onde seu sangue fluiu, formando os rios. Seus dentes e ossos se espalharam e viraram metais brilhantes; jades brancos, pérolas cintilantes, ágatas lindas e tesouros abundantes. Da sua saliva, surgiu a chuva que umedece a terra. O que restava da vida em seu espírito virou lentamente em bichos, peixes, pássaros e insetos, e trouxe vitalidade para o mundo.

Usando seu corpo e seu espírito, Pan Gu criou o mundo.

Fonte: Internet

Biluo – lenda do Chá

Taihu também é conhecido pelo chá da fonte de Biluo. Diz a lenda que uma bela garota chamada Biluo regou um arbusto com o próprio sangue e, com as suas folhas tenras, fez um chá para o amado que estava perigosamente doente. Fez isso dia após dia, até que o jovem recuperou a saúde, mas então foi Biluo que adoeceu e morreu.

– Xinran in “As boas mulheres da China”